Morre Alex Periscinotto, um dos apoiadores do Salão

Post 5 de 511

Foi um dos mais notáveis apoiadores do Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Também foi um dos mais ativos membros do júri de premiação, emprestando seu talento analítico e sua generosidade em perceber a alma de cada artista participante de nosso salão. Seu apoio e sua disponibilidade em estabelecer contatos com empresários e instituições que ajudaram o Salão de Piracicaba foi extremamente significativo e nossos agradecimentos serão eternos.  Nossos profundos e sinceros sentimentos aos familiares e amigos.


Nascido em Mococa, no estado de São Paulo, caçula em uma família de imigrantes italianos de 11 irmãos, Alexandre José Periscinoto foi educado no bairro paulistano do Belém e lá começou a trabalhar primeiramente com trabalhos temporários mas logo foi empregado como um operário nas Indústrias Matarazzo e lá conseguiu saltar para a seção onde faziam-se desenhos em tecidos, abandonando o cargo de operário e ingressando em algo mais próximo da área a que àquela época já aspirava, a publicidade. Em 1945, a Sears, que instalava-se no país, promovia um concurso para o desenho industrial de um ferro de passar roupas. Através dele Alex conseguiu um emprego na companhia e futuramente foi promovido a gerente. Periscinoto também trabalharia com os setores de publicidade do Mappin como gerente de propaganda, então a maior rede de lojas de departamento da cidade. Foi através desta empresa que viajou, em 1958, para os Estados Unidos, uma viagem já pessoalmente muito almejada, onde estagiou nas empresas DDB. Voltando ao Brasil, trouxe consigo muito conhecimento agregado de sua viagem e foi então chamado para ser um sócio da Alcântara Machado Publicidade, oferta que aceitou. Em 1998 Periscinoto vendeu suas ações para o grupo norte-americano BBDO, que mais tarde compraria Almap e a renomearia para AlmapBBDO. Alexandre deixa a empresa para fundar a sua própria,[5] a Sales, Periscinoto, Guerreiro & Associados. No mesmo ano torna-se secretário de publicidade institucional do Governo Federal na secretaria de comunicação sob a gestão do Presidente Fernando Henrique Cardoso. O cargo só duraria dois anos e Periscinoto passaria a dedicar-se somente à sua empresa desde 2000 até os dias atuais. Em agosto de 2013, Alex Periscinoto, Roberto Justus e Washington Olivetto foram reconhecimento por suas contribuições à propaganda brasileira pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, durante a quarta edição do Fórum de Marketing Empresarial, no Guarujá (SP). Alex Periscinoto faleceu em 17/01/2021, vítima de complicações da Covid-19, aos 95 anos. Ele completaria 96 em abril.

MENU