Peruano vence Prêmio Júri Popular do 42º Salão de Humor de Piracicaba

Post 71 de 468

 

Trabalho de Walter Toscano foi o preferido do público que votou pela internet

Walter Toscano - Peru - Caricatura 02

 

O artista peruano Walter Toscano é o vencedor do Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto do 42º Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Ele é o autor da caricatura de Nelson Mandela, que foi a obra preferida do público que votou pela internet. O artista receberá R$ 5.000 pelo prêmio. O salão é realizado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac) e Centro Nacional do Humor Gráfico (Cedhu) e fica aberto à visitação até o dia 04 de outubro, no Armazém 14 do Engenho Central.

 

No total, 14 trabalhos concorriam ao prêmio – todos eles que já haviam recebido menções honrosas, concedidas pelo júri de premiação do evento, composto pelos cartunistas brasileiros Luiz Gê e Laerte Coutinho e as cartunistas Nani Mosquera e Cristina Sampaio, da Colômbia e Portugal, respectivamente, além do professor da Universidade Mackenzie, Alexandre Huady, o presidente do Conselho Consultivo do Salão, Adolpho Queiroz e o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo.

 

Entre as obras concorrentes estavam charges, cartuns, caricaturas, tiras, além de trabalhos da categoria temática corrupção, que ficaram disponíveis para votação no site oficial (www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br) até o dia 11 de setembro, última sexta-feira. “A votação popular caiu no gosto das pessoas, que sempre foram muito participativas no salão. Nesse ano não foi diferente e tivemos um trabalho bastante valioso sendo premiado na categoria Júri Popular. Estamos bastante satisfeitos com o resultado”, afirmou a secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese.

 

OUTROS PRÊMIOS – O brasileiro Paulo Sérgio Jindelt foi o grande vencedor da edição deste ano ao retratar o cartunista Jean Cabut (Cabu), um dos mortos no ataque ao jornal francês Charlie Hebdo no início do ano. Jindelt recebeu R$ 5.000 pelo fato de seu trabalho ter sido eleito pelo júri como a melhor caricatura e mais R$ 10 mil pela escolha para o Grande Prêmio Troféu Zélio de Ouro. Receberam ainda menções honrosas na categoria caricatura o uruguaio Pablo Lopez, o iraniano Nasrin Abdosheykhi, o brasileiro Sergio Gonçalves Brito e o peruano Walter Toscano.

 

Os premiados em cada uma as categorias receberam R$ 5.000. Entre os cartuns, o contemplado foi o ucraniano Igor Kondenko. Receberam menções honrosas Konstantin Kazanchev, também da Ucrânia, Andrey Popov, da Rússia e Atefeh Yaryan, do Irã. Angel Boligan Corbo, cubano radicado no México, foi o vencedor entre as charges, que teve ainda menções honrosas ao italiano Marco de Angelis e ao belga Ludo Goderis.

 

O brasileiro Rafael Corrêa foi o campeão entre as tiras/histórias em quadrinhos, categoria que teve ainda as menções aos também brasileiros Daniel Dias Lafayette e Anderson de Oliveira Delfino e ao iraniano Ali Miraee. O prêmio temático Corrupção foi dominado inteiramente por brasileiros. Carlos Alberto Paes de Oliveira foi o contemplado. Rafael Corrêa e Paulo Sérgio Jindelt recebem menções honrosas.

 

Há ainda outras premiações especiais: o Prêmio Câmara Municipal de Piracicaba, exclusivo para caricaturas, foi entregue ao brasileiro Lézio Custódio Junior. Também do Brasil é o vencedor do Prêmio Águas do Mirante, Laerte Silvino. Já o indiano B.V. Panduranga Rao é o campeão do Prêmio Saúde Unimed.

 

MOSTRA OFICIAL – A mostra oficial tem 429 trabalhos, expostos no Armazém 14 do Engenho Central. A qualidade das obras foi ressaltada pelo Secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo, membro do júri de premiação que se reuniu no dia 15 de agosto no Engenho Central. “O Salão é uma iniciativa que já está consolidada, consagrada. Quando foi pensado lá atrás foi uma ideia muito inteligente. Cada vez mais precisamos do humor e o Salão de Piracicaba está entre os melhores do Brasil, conquistando espaço nacional e internacional”, afirmou o secretário.

 

Para o prefeito de Piracicaba, Gabriel Ferrato, o sucesso está no perfil do evento. “Não se trata do humor que só faz rir, gargalhar, mas principalmente do humor crítico, que analisa situações, que ensina a pensar, que apura a qualidade do cidadão. Um verdadeiro exercício da inteligência” opina.

 

MENU